• Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Aqui a gente conta pra vocês, futuros donos, um pouco mais sobre o temperamento do Akita e dá dicas de como proceder para que seu novo companheiro se adapte da melhor maneira possível ao novo lar.

Slider4
Slider

Como detalharemos a seguir, o adestramento do Akita deve começar cedo, uma vez que mesmo filhote ele já é um cão muito inteligente e de comportamento dominante e temperamento forte. Pense no filhote como um bebê: se você mimar demais ele não vai ter limites depois. O que não significa que as brincadeiras não estejam liberadas, apenas que é necessário educar de maneira série e firme.

 

É importante lembrar que trata-se de um cão muito apegado à família, então o contato com os donos é importante e encorajado. O filhote de Akita que passa mais tempo sozinho no quintal ou preso num quarto não tem as melhores chances de se tornar um adulto de comportamento sadio.

 

Com relação à higiene, não há muito o que se preocupar – o Akita é uma raça uma muito limpa e não costuma ter problemas para aprender onde fazer suas necessidades.

+55 (61) 9303-5919 | +55 (61) 9303-5929

Estamos 100% disponíveis pra esclarecer qualquer dúvida que tenha restado após a leitura do nosso site, e também para responder qualquer questão sobre a compra e o transporte do seu filhote. Resumindo: escreve pra gente!

O akita pode desenvolver uma relação maravilhosa com crianças, mas o sucesso dessa relação vai depender de você, do comportamento da criança e do temperamento do Akita em questão. Filhotes de Akita criados com crianças são geralmente bons e atenciosos com elas. Mas, por uma questão de lealdade, problemas podem surgir quando o cão adulto é inserido num ambiente não supervisionado, no qual as “suas crianças” estão interagindo com outras que ele não conhece. As brincadeiras infantis podem ser animadas, barulhentas e muito ativas, e essa agitação pode invocar os instintos protetores do Akita, fazendo-o responder agressivamente. É importante supervisionar as brincadeiras infantis todo o tempo quando o Akita estiver presente.

 

Se você tem crianças em casa, estimule seus coleguinhas a conhecer seu filhote em um ambiente controlado, onde se brinque com ele de forma gentil. Este pode ser o momento perfeito para ensinar a suas crianças como tratar os animais humanamente. Algumas não têm muita consideração, e o Akita pode não tolerar abusos, especialmente se esta criança não pertencer ao seu círculo.

 

Se você não tem crianças em casa, leve o seu filhote para os “playgrounds” de escolas, praças ou parques. Peça às crianças da vizinhança que venham visitar algumas vezes durante a semana. Você deve acostumá-lo a crianças para que ele entenda e respeite seu pequeno tamanho. Mesmo o maior dos Akitas pode ser ensinado a se mover cuidadosamente entre crianças pequenas. Socializar o filhote akita para que ele aprenda a respeitar crianças é especialmente importante se você planeja ter filhos.

 

Quando um recém-nascido é trazido ao ambiente doméstico com um Akita adulto, o cão pode interpretar isso como uma ameaça à sua segurança. É a chamada “síndrome da segunda criança”, que acontece também quando crianças mais velhas precisam se acostumar a um recém-nascido na família. Comece a apresentação do cão à criança familiarizando o Akita com o cheiro do bebê. Para isso, você pode utilizar uma peça de roupa de cama ou de roupa da criança. Depois, mostre-se otimista e feliz quando apresentar pela primeira vez o cão ao novo bebê. Você deve estar calmo, confiante e também alegre e empolgado, então faça com que seu cão perceba o quão maravilhoso é esse momento.

 

Como recém-nascidos dormem muito, é importante permitir que as oportunidades de supervisionar o Akita sejam próxima próximas às sonecas do bebê. Nesses momentos, encha seu Akita de atenção e carinho. Logo ele vai associar a criança com a atenção especial que você lhe deu e estará mais receptivo em aceitar o novo membro da família. Em outras palavras, o cão deve receber mais sua atenção na presença do bebê, e não quando ele estiver ausente. Quando o bebê não estiver no quarto, não compense o cão como se você se desculpasse por tê-lo negligenciado.

 

Se você estiver convencido de que seu akita adulto é uma ameaça para a nova criança, o cão vai captar esses sentimentos negativos e o medo que você gerar. Faltando a habilidade de entender o medo e os sentimentos negativos, o cão pode compreensivelmente atribuir esses medos à criança indefesa, e aí pode se estabelecer uma situação negativa entre o cão e a criança.

Como sabemos, o desenvolvimento dos cães se dá de maneira muito rápida, o que significa que eles crescem muito em pouco tempo, e com 1 ano de idade já são considerados adultos. Por isso os filhotes devem se alimentar bastante, de 3 a 4 vezes por dia. Na fase adulta as refeições diminuem para apenas 2 vezes ao dia. Um cão saudável adulto deve comer entre 2,5% e 4% do seu peso por dia, sendo que a base dessa alimentação deve ser de proteínas, por se tratar de um animal carnívoro.

 

Prefira as rações que tenham em média de 27% a 30% de proteína, proveniente de sangue, farinha de ossos e proteína de carne. Lembre-se de que a ração do filhote deve ser especial para filhotes, e que no início você pode misturá-la com um pouco de água para fazer uma papinha, passando gradualmente para a ração seca.

 

Hoje em dia muito tem se falado sobre alimentação natural para cachorros, e ela pode sim ser realizada, desde que com acompanhamento do veterinário. É preciso desenvolver um cardápio específico para o seu cão e lembrar que os alimentos devem ser preparados com foco nas necessidades deles, com bem menos condimentos que os nossos, o que simplesmente compartilhar sua comida com seu animal pode causar problemas.

 

A alimentação natural pode ser inclusive uma resposta para a inapetência do Akita, que, apesar de muito difundida, não é maior do que em cães de outras raças. Ocorre que, assim como nós, os cachorros às vezes também enjoam de comer sempre a mesma coisa, e podem sim passar a rejeitar a ração. Uma tática para lidar com esse problema é misturar a ração a pequenas porções de arroz “papinha” e carne ou frango moídos.

Sendo uma raça originária de uma região bem fria e úmida, o Akita possui duas camadas de pelo, ou, como dizemos no meio, pelo e sub-pelo. Isso faz com que o animal se impermeabilize, e evita que ele entre em contato com as sujeiras do ambiente, impedindo o mau cheiro de se instalar. Ademais, o Akita se lambe o tempo todo, como os gatos, fazendo com que seu pelo esteja sempre limpo. Por essas razões o Akita só deve tomar banho uma vez por mês, isso quando muito. Muitos donos só dão banho uma vez a cada 2 meses.

 

Caso você queira higienizar seu cão com mais frequência, basta passar uma toalha umedecida com água, essência de lavanda ou hortelã e óleo para bebê depois da escovação, que deve ser feita uma vez por semana. Eles ficarão limpinhos e cheirosos.

 

Falando em escovação, é preciso lembrar também que o Akita troca de pelo duas vezes por ano, sendo que a troca dura de 15 dias a 1 mês. Quanto mais quente for o local onde reside o Akita, mais vezes essa troca pode acontecer, e com maior intensidade.

Com o fim da Segunda Guerra e o subsequente fim do ambiente hostil no Japão e a extinção das rinhas de cães, o ambiente pedia mais tranquilidade e beleza para todos os envolvidos no processo.

 

A entrada em cena de shows, competições e clubes caninos, aliada a uma melhora significativa da economia e dos aspectos sociais do país, mostrou aos criadores de Akita que era preciso fazer algumas mudanças no temperamento e no treinamento dos cães, mudanças essas que foram continuadas e aperfeiçoadas nos canis estrangeiros. Por causa dela, o Akita é hoje um cão altamente versátil e adaptável ao estilo de vida contemporâneo.

 

Uma característica marcante do Akita é a sua inteligência e capacidade de aprender rápido os comandos, o que significa que não é preciso repetir muitas vezes para que ele entenda. Sendo assim, sessões curtas de treinamento são mais recomendáveis.

 

O treinamento deve começar bem cedo, quando o animal tiver entre 10 e 12 semanas, e nesse início deve ser voltado para a socialização do cão, para o entendimento da relação entre dono/animal e para a apreensão de comandos simples, além do uso da coleira.

 

O treinamento do filhote deve reforçar o tipo de comportamento desejado, mas não pode ser pesado em demasia, pois aí corre-se o risco de o cão se tornar teimoso e egoísta. É importante frisar que as sessões devem ser curtas, com no máximo 15 minutos de duração, e não precisam ser repetidas todos os dias.

 

O adestramento é muito importante para o Akita, e pode ser realizado com ou sem o uso de recompensas. Muito se fala sobre qual tipo de treinamento é melhor para o Akita, mas as boas respostas obtidas com diferentes tipos de estímulo apenas mostram que deve-se observar o temperamento de cada cão individualmente, e então decidir o que é melhor.

 

Os donos também devem lembrar que, durante o treinamento, o Akita (e qualquer cão, aliás) precisa ser exposto a todos os tipos de locais onde é esperado que ele se comporte, uma vez que o comportamento pode mudar se ele estiver em um ambiente que não conhece e cujas regras sociais ele não compreende.

©2016 by Canil Inuwashi. All Rights Reserved. Created by 2xrdesign.com